Categorias
Artigos

Cosmopoéticas da desobediência informe

Publicado em sistema ahead of print pela revista E-Compós, este artigo retoma algumas reflexões anteriores sobre o catálogo Lumière. Resumo Considerando o catálogo Lumière como experiência inaugural do cinema mundial, este artigo propõe uma leitura anarquívica de algumas de suas imagens. Diferenciando a operação do cinematógrafo como dispositivo cosmotécnico de arquivamento do mundo e aparelho […]

Categorias
Entre-imagens

Notas sobre o cinema colonial no Congo Belga

Em um artigo recente intitulado “É o professor! Deixem-no passar!”: memórias e sonhos de um congolês, Serge Katz propõe uma reflexão sucinta e precisa sobre a herança múltipla e atroz do colonialismo. Leitura mais do que recomendada. Ao ler seu texto, me chamou a atenção a coincidência de sua publicação justamente nas semanas em que […]

Categorias
Livro

Introdução: Humanidade e Mundanidade (Do inimaginável, 2019)

Do inimaginável é meu primeiro livro, publicado no final de 2019 pela Editora UFG. Aqui, apresento a introdução desse ensaio sobre cinema e direitos humanos, que se desdobra, nos capítulos seguintes do livro, como um estudo analítico comparado das formas de relação com o arquivo dos campos nazistas na história do cinema. Para ir além […]

Categorias
Pesquisa

Imagem e direitos humanos (2017-2019): relatório de pesquisa

O projeto Imagem e direitos humanos: consciência da humanidade, memórias de violações e projeções de dignidade no cinema e no audiovisual foi apresentado em junho de 2017 para a apreciação da Congregação da Faculdade de Comunicação (Facom) da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Em seguida, uma Comissão ad-hoc de avaliação de projetos emitiu parecer favorável […]

Categorias
Diário

Contra a captura proprietária do conhecimento

O mercado editorial é infernal, e um dos principais culpados é a captura proprietária dos direitos autorais, que fica evidente quando não basta a autorização de um autor ou uma autora para que se traduza um de seus textos. É surreal quando nem o próprio autor baste para autorizar algo com seu texto, uma republicação […]

Categorias
Entre-imagens

De robôs com defeito e barcos imaginários

Um dos novos projetos do grupo de pesquisa e estudos Arqueologia do sensível, chamado Anarqueológicas, tem como objetivo explorar as possibilidades de diferentes plataformas de compartilhamento de textos, vídeos, áudios e produtos multimídia, por meio da internet, para divulgação científica e artística. Estamos começando as experiências nessa direção, e nesse contexto fiz, de forma um […]

Categorias
Artigos

Cosmopoéticas do espectador selvagem

Publicado no dossiê “Cinema brasileiro contemporâneo: política, estética e invenção”, organizado por Carla Maia, Patrícia Furtado Machado e Reinaldo Cardenuto Filho, no volume 47, número 53 (jan.-jun. 2020), da Significação – Revista de Cultura Audiovisual, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Ceará, este artigo retoma algumas reflexões anteriores sobre abordagens cinematográficas […]

Categorias
Críticas

Agarrando Pueblo e a dádiva da voz

Fala-se muito em dar voz ao outro, sem que se interrogue os sentidos desse gesto e da relação que ele constitui. A literatura antropológica registra amplamente a ligação entre dádiva e obrigação, entre dar presentes e obter reconhecimento e prestígio social, entre receber presentes e submeter-se à autoridade de quem os ofereceu (a ponto de […]

Categorias
Entre-imagens

Cinema, alteridade, moeda falsa

A moeda falsa como paradigma Um dos gestos fundadores do cinema do “Terceiro Mundo”, que eventualmente se torna “Terceiro Cinema”, pode ser cifrado como fabricação de moeda falsa e assume múltiplos sentidos em diferentes momentos históricos e configurações estéticas. Fabricar moeda falsa é confrontar uma economia financeira e simbólica que exclui, de diversas maneiras, as […]

Categorias
Diário

La Flor: do complexo de múmia à câmera escura

A quem interessar possa, eis algumas palavras sobre La Flor, de Mariano Llinás, minutos depois de concluir a primeira travessia, em ritmo irregular, das suas imagens. Tudo se passa como se, no início, estivesse o complexo de múmia, que é, além do tema de uma releitura da tradição dos filmes B (no episódio I), o […]

Categorias
Entre-imagens

Pensar impacientemente a queda

Carta ao pai Nos últimos dias ou semanas, por vários motivos me lembrei de Lavoura Arcaica, daquele discurso do pai que exalta o tempo e louva a paciência, da resposta de André, o filho ingovernável, dizendo que a impaciência também tem seus direitos. Parece estar em jogo há alguns anos uma mudança na experiência do […]

Categorias
Artigos

O macaco com a câmera na mão: montagem anarquívica e devir-animal em Leo Pyrata

Publicado no dossiê “Novas linguagens do audiovisual”, organizado por Felipe Polydoro e Gabriela Freitas, no número 16 (2019), da Esferas – Revista Interprogramas de Pós-Graduação em Comunicação do Centro-Oeste, este artigo retoma algumas reflexões anteriores sobre os curtas-metragens de Leo Pyrata. Resumo Este artigo discute os principais filmes de curta metragem dirigidos por Leo Pyrata, […]

Categorias
Entre-imagens

Retorno, captura, abertura

Este texto foi publicado originalmente no catálogo da mostra Clássicos Africanos – A primeira geração de cineastas da África do Oeste, que ocorreu de 19 de novembro a 1º de dezembro de 2019, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro. O cinema de Paulin Soumanou Vieyra como campo de forças “Não existe obra de arte […]

Categorias
Entre-imagens

Propostas para a Socine (2019-2021)

Sou candidato ao Conselho Deliberativo da Socine para o período de 2019 a 2021. As eleições ocorrem nos dias 9 e 10 de outubro, e são inteiramente online (não sendo necessário estar em Porto Alegre). Para votar, é preciso apenas ter a anuidade em dia. De modo geral, o que penso para a entidade vale […]

Categorias
Entre-imagens

Metropolis, Henschel, fantasmagoria

Me pergunto se não há mais do que uma coincidência entre a remasterização de Metropolis (1927) de Fritz Lang, com a colorização e a sonorização, inclusive a dublagem, de todo o filme, e a colorização de fotografias de pessoas escravizadas retratadas por Alberto Henschel. Talvez o estranhamento que mais facilmente sentimos diante do filme de […]