Categorias
Críticas

O cinema político africano e o direito de narrar

Bamako (2006), de Abderrahmane Sissako, faz soprar novos ares na tradição mundial do cinema político ao construir e desconstruir, ao mesmo tempo, um curioso dispositivo ficcional.

Categorias
1001 fotografias

Gato se olhando no espelho (1946), de Brassaï

Se a escrita da luz e da sombra constitui uma das formas do duplo, o gato de Brassaï multiplica os movimentos de duplicação no dispositivo labiríntico de sua mise-en-scène.

Categorias
Entre-imagens

Os cinemas africanos: pela descolonização da mente

O que Ngũgĩ wa Thiong’o chama “descolonização da mente” permanece ainda por fazer e constitui uma tarefa política – e poética – crucial de nossos tempos.

Categorias
Entre-imagens

Você enfia a cabeça dentro do seu próprio peito, abre os olhos e olha

Algumas das transformações mais ambivalentes que as formas de reprodução técnica imprimem na experiência humana estão relacionadas aos fantasmas que nos assombram sob o signo do sagrado.

Categorias
Críticas

Film Socialisme: imagina o silêncio

Em Film Socialisme, o dinheiro e o signo, o valor e a significação, funcionam como metáforas que se iluminam (e se obscurecem) reciprocamente.

Categorias
Entre-imagens

As sombras são

A fotografia – que se diz “escrita da luz” num conhecido jogo etimológico – aparece sempre como uma das formas da sombra.

Categorias
Críticas

Film Socialisme: liberdade, igualdade e fraternidade

Tradução comentada do texto de Arthur Mas e Martial Pisani sobre Film Socialisme (2010), de Jean-Luc Godard, publicado na Independencia.

Categorias
Palavras e imagens

Mãos

Um comentário de Agnès Varda sobre uma fotografia de André Martin de 1968, transmitido na televisão no contexto da série “Um minuto para uma imagem”, de 1983.

Categorias
Críticas

Film Socialisme: os fantasmas da alegoria

Se há alegoria em Film Socialisme, é uma alegoria espectral, como um resto ou um vestígio incorpóreo.

Categorias
Críticas

Film Socialisme: Babel

Film Socialisme propõe uma experiência babélica que abre – entre as línguas, entre as palavras e entre as imagens – um espaço de legibilidade para o mundo.

Categorias
Críticas

Logorama III: sonhos

Logorama converte o imaginário do capital, isto é, as logomarcas e os personagens a elas relacionados, em peças de um jogo de citações.

Categorias
Críticas

Logorama II: marcas

A produção francesa que ganhou o Oscar de 2010 na categoria de curta-metragem de animação lembra que as paisagens urbanas atuais estão cada vez mais tomadas por logomarcas.

Categorias
Críticas

Logorama I: paisagens

Talvez nas paisagens se tornem legíveis os sinais dos tempos: os caminhos que aram a terra são como as rugas no rosto do mundo.

Categorias
Entre-imagens

Algumas notas sobre a pulsão anarquívica

A iconoclastia é uma sensibilidade diante do mundo: o ato de rasgar deve ser considerado um lance entre outros dentro de um jogo.

Categorias
Entre-imagens

O museu imaginário

A poética do labirinto como cartografia do imaginário – não o arquivo, o anarquivo.